sábado, 24 de setembro de 2011

A dificuldade em reconhecer o simples e nossa mania de o transmutar no complexo indecifrável



Há alguns anos assisti uma entrevista do Carlinhos Brow no programa "nossa língua portuguesa" onde ele afirmava que "intelectual é quem reconhece o óbvio".
Parece redundância, mas poucas pessoas conseguem ver com clareza o que esta em sua frente porque fica formulando várias hipóteses e tentando decifrar codificações onde não existe nada além do que foi dado/dito.
Um homem dizer que o outro homem é bonito ou esta bem arrumado não faz dele um homossexual, da mesma forma, que um comentário de mesma natureza vindo de uma mulher a outra não a faz lésbica – talvez a maior refração ao primeiro caso se faça porque a homofobia é muito mais presente em relação ao gênero masculino, eu disse “talvez”, é apenas algo da percepção no dia a dia e nunca li nenhum estudo sobre isso . Nessa mesma linha de raciocínio, dizer que uma mulher esta bonita não significa, necessariamente, que se esta flertando (ainda mais se ela trás consigo aquele "pneu prateado" - o dourado então nem se fala... - preso a mão).
Aprecio a beleza da existência e o que há de mais perfeito que a mulher? uma mulher bonita deve ser apreciada e valorizada como um Rembrant ou um Monet. Apreciar arte não faz de você um ladrão de arte, logo...
Diante de uma sociedade de interesses, onde tudo é sempre uma troca ou sempre “... tem mais", ser gentil ou educado com as pessoas é, paradoxalmente, estar suscetível a ser mal interpretado. 
Considerando que sempre nos colocamos no lugar do outro (se acaso estivéssemos naquela mesma situação) na hora de fazer uma análise valorativa de suas atitudes, a visão desconfiada da gentileza  deveria levar-nos a uma reflexão profunda sobre nossos valores e oo que temos cultivado em nós.
Tem horas que penso que me falta "filtro social" e em outras acho que acredito demasiadamente que todos são sensíveis para o óbvio: não há qualquer erro em demonstrar carinho por alguém que se tem afeto e nem em se ter afeto por várias pessoas e os objetivos diferentes da amizade são objeto de ações e momentos mais particulares.

"Amizade é um amor que nunca morre" e eu tenho facilidade em amar as pessoas assim e não me parece coerente ser de outra forma apenas porque a maioria não tem a mesma capacidade de empatia.
"Nunca é demais dizer eu te amo", mas a forma como eu te amo é que a grande questão.
Amizade, no grego Philos, é uma das faces do amor que somente é completo quando suas três formas coexistem: Eros (desejo), Philos (amizade) e Ágape (amor sobrenatural, além do físico) e este é o amor de Bonnie e clayde que todos procuramos encontrar e que nos fará desejar envelhecer do lado de alguém.
Ainda estou a procura do meu par perfeito, se a encontrar por aí, a minha procura, diga que pode me encontrar quase sempre por aqui...Perdido em minhas divagações. Neste meio tempo, manterei minha alegria com cada sorriso verdadeiro que conseguir fazer brotar no rosto daqueles que eu queira bem e seja recíproco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu

Minha foto
Apenas um homem que ainda acredita em "happy end"; que acredita que mesmo com todos os problemas que encontramos hoje, amanhã será bem melhor e poderemos alcançar nossos objetivos, embora, talvez, demore mais para uns do que para outros.

Seguidores